Basta observar as crianças no recreio da escola, em casa ou em uma rodinha no shopping e logo se percebe um denominador comum.
Estão todos com seus smartphones ou tablets em punho trocando mensagens, jogando os mais recentes games ou ligados em suas redes sociais.
Também é comum pais darem smartphones e tablets para acalmar seus filhos em restaurantes e no carro.
Porém, o uso em demasia desses aparelhos tem prejudicado e muito a visão das crianças e adolescentes.
A miopia tem vários fatores, sendo os mais importantes o genético e o ambiental. A doença está associada ao esforço acomodativo, isto é, ver coisas pequeninhas muito de perto, em movimento ou no escuro.
Se a criança passa muito tempo em frente ao computador, joguinhos de celular, lendo ou vendo TV no escuro ou ainda assistindo filmes no DVD no carro, o cérebro ´entende´ que o importante é a visão de perto, que vai ficando cada vez melhor, em detrimento da visão de longe.
Os aparelhos modernos são prejudiciais e o risco de ter a doença aumenta se a criança tiver predisposição genética, ou seja, míopes na família, ou se for detectada uma tendência no exame oftalmológico de rotina.
A dica é levar a criança para fazer uma avaliação oftalmológica completa de seis em seis meses até completar dois anos de idade, e depois marcar exames anuais até os 10 anos ou sempre que houver necessidade.
Além disso, recomenda-se que os pais restrinjam o tempo de uso dos aparatos tecnológicos.

13.01.2016